Filhos, por que tê-los? A pergunta parece fora de propósito quando o tema do encontro é “aumentando a família”. Mas antes de falarmos sobre aumentar a família, precisamos saber se o casal quer realmente ter filhos. É cada vez mais comum encontrarmos casais que optam por não ter filhos. Decidem construir suas vidas como casal sem dar continuidade para gerações futuras. É pecado? É um erro? Não, é uma escolha que deve ser acordada antes do casamento, para se evitar conflitos futuros. “O nascimento do primogênito muda o nosso lugar no universo” afirma José Ruy Gandra em Coração de Pai, e de fato muda. A chegada de um filho muda completamente nossa noção de vida e futuro.

A chegada do primeiro filho vai mudar para sempre a relação entre marido e mulher. No caso de concepção, haverá transformações físicas e emocionais na mulher que vão interferir diretamente na relação com seu marido. No caso de adoção, a mudança é prioritariamente emocional. Em ambos os casos, ao decidirem ter um filho, o casal deve estar ciente que tudo vai mudar. Não serão mais dois em casa, terão uma nova vida, completamente dependente de vocês, a exigir atenção e cuidado de ambos. A decisão de ter um filho deve sempre ser tomada em conjunto. O casal deve estar apto emocional e financeiramente para arcar com o investimento que é ter um filho. A chegada de uma criança traz esperança, alimenta sonhos e aproxima o casal em torno de um objetivo comum. No entanto, o casal não pode negligenciar sua vida a dois em detrimento da chegada do filho, terão que se adaptar para que o amor seja cultivado e exercitado todos os dias.

Ser pai e ser mãe é ser exemplo. Boa parte do que seu filho será ele aprenderá nos primeiros anos de vida e vocês são responsáveis pelo que ele vai aprender e como irá aprender. Se há no lar amor, respeito e consideração entre pai e mãe, este será o exemplo que seu filho levará para a vida. O desafio principal é formar pessoas conforme o caráter de Deus. Para isto, é preciso ser pessoas conforme o caráter de Deus. Pais precisam ter em mente que, ao decidir ter filhos — seja pela concepção, seja pela adoção — estão decidindo transmitir à próxima geração seus valores e princípios. Não há melhores valores e princípios a se ensinar que os valores de Deus. Como pais, o desafio de criar uma vida é gigantesco e em Deus eles encontram apoio e direção para melhor cumprir seus objetivos. Um filho é sempre uma bênção e deve ser recebido com alegria e esperança, fé e amor.

A decisão de se ter filhos deve sempre ser tomada em conjunto e conversada desde antes do casamento, para que o casal planeje a chegada do filho com amor e condições emocionais e financeiras para tal. O homem deve estar ciente que haverá mudanças em sua relação com a mulher e vice-versa. O importante, é o casal estar seguro da decisão de ter o filho e saber que seu universo nunca mais será o mesmo, que tudo mudará e que a vida à dois ganhará novas exigências e necessidade de novas adaptações e atitudes. O mais importante é o casal ter em mente que a principal herança que se pode deixar para os filhos não são uma conta bancaria gorda ou patrimônios materiais, mas sim o exemplo de pai e mãe presente, dispostos a amar e ensinar seus filhos nos princípios de Deus, sendo exemplos do amor e correção de Deus para seus filhos. Filhos são bênção, pais devem ser bênçãos para seus filhos.

Written by

💻 Escritor | ✝️ Pastor | 🖥️ Design | Mais informações: https://cafecomalecrim.com.br

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store